Quem Tem Raiva da Beleza?

Quando se cogitou a construção da Torre Eiffel em Paris, para a Exposição Universal de 1889, houve intensa polêmica. Um manifesto assinado por escritores, pintores, escultores e arquitetos franceses a considerava “inútil e monstruosa”. Só foi possível construí-la com a promessa de que 20 anos depois seria demolida, para não enfear a cidade. Porém, ao fim desse prazo ninguém mais queria a demolição. A torre havia se transformado no principal símbolo de Paris e viria a ser o monumento mais visitado do mundo.

Lembrei-me disso ao ver a foto da maquete do que será o Arco da Inovação em São José, concebido pelo arquiteto Catão Francisco Ribeiro, autor da imponente ponte estaiada de São Paulo na Marginal do Pinheiros.

Sem surpresa, vi que nos dias seguintes surgiram críticos dizendo que a obra será um desperdício de dinheiro. Houve até uma leitora deste jornal opinando que o projeto “é cafona”. Cafona?! Engraçado, eu o achei muito bonito e aposto que, tão logo seja inaugurado, será o ícone mais fotografado na paisagem de São José dos Campos, consolidando a visão de sermos uma das cidades mais lindas e progressistas do país.
Estranho que os críticos, quase todos ligados ao PT, insistam em dizer que o Arco privilegiará o tráfego de automóveis. A menos que eu tenha desaprendido a ler, era nítida a informação de que por ele irão transitar 18 linhas de ônibus urbanos, transportando cerca de 60.000 passageiros em 1.246 viagens diárias, direcionadas a todas as regiões periféricas.

Não é de hoje que o pessoal do PT detesta tudo que torne a cidade mais bonita. Há alguns anos, eles esgoelaram em fúria para censurar a saudosa arquiteta Juana Blanco, que ousava plantar palmeiras à margem das principais avenidas de São José e, pior ainda, tinha a audácia de ornamentá-las com floreiras. Que horror!

Por que não imitar a estética da prefeita petista Ângela Guadagnin, que embelezava os acostamentos da Avenida Jorge Zarur, nos dois sentidos, com montes de entulho despejados por carroças e caminhões? Aquilo, sim, atendia ao gosto dos petistas.

À época, em defesa de Juana Blanco publiquei um artigo com o título “Quem Tem Raiva da Beleza?” Volto a utilizá-lo hoje, quando se renova o rugir dos furibundos.

Os rabugentos reclamam também que o Arco será caro e não é prioritário. Nesse caso, permito-me indagar-lhes: por que se silenciaram quando o prefeito Carlinhos Almeida, inspirado na Fórmula 1, construiu chicanas em meio à reta da Avenida 9 de Julho? E o que têm a dizer sobre os inúteis e medonhos quiosques que ele construiu à beira do Banhado e hoje permanecem fechados o dia inteiro?

Gostaria que explicassem se as chicanas e os quiosques eram obras prioritárias e quanto custaram aos cofres municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *